Home » Comunicação » Campanha Salarial do setor gráfico de embalagens – Patrões mantém estratégia dos anos anteriores

Campanha Salarial do setor gráfico de embalagens – Patrões mantém estratégia dos anos anteriores

Nem mesmo a entrada em vigor da reforma trabalhista e a disseminação dos discursos de “fortalecimento da negociação coletiva” e do “negociado sobre o legislado” foi bastante para os sindicatos patronais modificarem sua estratégia nas mesas de negociação. Ao contrário: mantiveram a postura de retirada de direito e destruição da proteção social do trabalho construída na luta dos trabalhadores, garantidas em suas convenções coletivas de trabalho ao longo dos anos.

As duas primeiras rodadas de negociação com o Sindicato da Indústria de Embalagens do CearáSindembalgens, demostrou o mesmo comportamento, a mesma estratégia dos anos anteriores: renovar a convenção coletiva de trabalho em vigor, reajustando salários e piso pela inflação do período. A manutenção da CCT em vigor e a correção dos salários pela inflação, atende os interesses das maiores empresas de embalagens instaladas em nosso estado.

Em se tratando de responsabilidade, o Sindembalagens continua tratando de forma secundária a negociação salarial, pois não manda à mesa negocial seus representantes oficiais, sendo representados por prepostos”, afirma o presidente do Sindicato dos Gráficos do Ceará, Rogério Andrade.

O sindicato patronal apresentou contra pauta contendo várias reivindicações empresariais, “tudo para tumultuar o processo de negociação, tirando o foco das reivindicações laborais” assegura assegura o presidente do Sintigrace. O sindicato patronal ainda orientou as empresas a adiantarem a inflação aos salários dos trabalhadores, bem com concordou com a prorrogação da validade da Convenção Coletiva de Trabalho.

Nessa condição, é preciso que os trabalhadores garantam maior nível de mobilização para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho, com novas conquistas e o fortalecimento dos direitos adquiridos que a reforma trabalhista busca destruir.

Confira abaixo, algumas das reivindicações dos trabalhadores gráficos do setor de embalagens para a Convenção Coletiva de Trabalho de 2018-2019.

Principais reivindicações dos trabalhadores:

1. Pisos salariais por faixa

FAIXA A

Todos os trabalhadores da pré impressão

R$ 1.574,72

FAIXA B

Todos os trabalhadores da impressão incluindo os auxiliares e da manutenção.

R$ 2.132,36

FAIXA C

Todos os trabalhadores do acabamento, incluindo os da expedição e administrativo.

R$ 1.348,46

2. Reajuste salarial de 8% sobre os salários vigentes em abril de 2018;

3. Multa para a empresas que atrasarem o pagamento dos empregados;

4. Horas extras pagas com percentual de 80% acima do valor da hora normal;

5. Vale alimentação no valor de 16 reais;

6. Cesta básica de alimentos;

7. Vale Transporte;

8. Homologação das rescisões de contrato de trabalho no Sindicato;

9. Sindicalização nos locais de trabalhos;

10. Dia do Gráfico.

Lembre-se: Juntos somos mais fortes. Sindicalize-se!

 

Coming Soon